Caminhoneiros comemoram aprovação de tabela

Rosi Oliveira / Redação DS 12/07/2018 Geral
Geral

O presidente Michel Temer deverá receber em breve o texto de uma das medidas provisórias (MP) mais aguardadas dos últimos tempos.
A medida que institui a tabela de frete para o transporte rodoviário de cargas e perdoa as multas aplicadas às transportadoras, aprovada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado.
A medida foi votada na noite de quarta-feira, 11 e acompanhada por um grupo de caminhoneiros  do lado de dentro do Senado que comemorou o resultado.
Assim como em Brasília em Tangará da Serra a aprovação foi recebida com bastante entusiamo pelos caminhoneiros segundo o presidente da Associação dos Caminhoneiros de Tangará da Serra, Edgar Laurini. “Esse era nosso sonho, de ter um piso mínimo para o frete para competir no mercado. Deste 2004 estamos lutando para trabalhar pois o  atravessador estava ficando com a maior parte do lucro”, comenta Laurini ao salientar que a aprovação da Lei veio de encontro aos anseios da categoria, que a partir de agora aguarda que o valor seja realmente determinado. “Agora ficamos esperando que o valor seja estabelecido. Hoje está sendo praticado por quilômetro rodado e pelo peso da carga e está dentro do aceitável”, pontuou.
Ainda conforme Edgar, das reivindicações realizadas à época entre o governo e os motoristas de caminhão para encerrar a greve da categoria, que começou no dia 21 de maio e durou 11 dias, o valor do diesel era também o mais desejado e embora não tenha chegado ao valor combinado, já tem ajudado bastante. “Quando da greve a reivindicação principal era o valor do diesel que é o grande vilão, não é o pneu. Com a medida que baixou os combustíveis não chegou a 0,45 centavos, mas a 0,41 e já melhorou bastante”, ressaltou.
O texto aprovado não traz valores para o frete, mas define critérios técnicos para que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) determine o valor mínimo a ser cobrado.
Os preços serão reajustados semestralmente e a tabela deve ser publicada duas vezes por ano: até o dia 20 de janeiro e até o dia 20 de julho.

 

Notícias da editoria