Audiência debate a participação efetiva do eleitor no processo eleitoral

Fabíola Tormes / Redação DS 11/08/2018 Geral
Geral

Com plenário lotado, Tangará da Serra recebeu nesta sexta-feira, 10, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), desembargador Márcio Vidal, entre outras autoridades, para Audiência Pública da Cidadania, realizada no auditório da OAB Tangará. 
O evento vem sendo promovido pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) e esta foi a terceira edição. Outras duas foram realizadas recentemente em Barra do Garças e Rondonópolis e mais duas estão agendadas para os dias 17 e 31 deste mês, em Cáceres e Sinop, respectivamente. 
Em todas elas estão sendo debatidos temas relacionados à cidadania, especialmente a participação efetiva do eleitoral no processo eleitoral. “Estamos visitando os polos mais populosos, para levar uma mensagem ao cidadão eleitor. Um projeto com uma interface com ele, porque a Justiça Eleitoral, diferente de qualquer outra justiça, tem uma clientela permanente de quase 70% da população. No caso do Estado de Mato Grosso, é uma população de 3 milhões de habitantes, e 2 milhões 333 mil e 47 são cidadão eleitor. Então é uma relação direta, estreita com eles, o ano todo”, afirma. “E obviamente, neste ano eleitoral, queremos discutir a cidadania, a importância que é a política e também a democracia”. 
“Estamos a menos de dois meses do primeiro turno das eleições de 2018, temos eleições para presidente da república, deputados federais e estaduais, governadores, uma eleição majoritária de muita importância de participação do eleitor, do cidadão”, complementa a juíza da 19ª Zona Eleitoral, Leilamar Aparecida Rodrigues. “Um debate acerca do voto eficiente, consciente e útil do cidadão de Tangará da Serra (…) da participação efetiva do eleitor neste pleito eleitoral”.
Além destes, participaram do evento o vice-presidente do TRE-MT e Corregedor, desembargador Pedro Sakamoto, o Juiz Federal Paulo Cezar Alves Sodré, autoridades constituídas do Município e alunos. 

Abstenções deixam Justiça Eleitoral em alerta

O crescente sentimento pela abstenção, um resultado da decepção com os partidos e uma rejeição aos nomes apresentados nas últimas eleições, acendeu o sinal de alerta na Justiça Eleitoral, especialmente após o resultado da eleição suplementar para o governo do Tocantins – em junho deste ano, em que a soma de votos brancos, nulos e abstenções chegou a 51,83% dos eleitores.
Segundo o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), desembargador Márcio Vidal, que esteve em Tangará da Serra nesta sexta-feira, 10, para participar da Audiência Pública da Cidadania, este é um problema comum de todo o Brasil. “É uma preocupação e isso de uma certa forma vai impactar na democracia representativa. Sinaliza que o cidadão eleitor está dando as costas para política”, lamenta. 
“Mas ele tem que saber que a política é uma célula vital de convivência em sociedade. Não há outro modelo (…) e diferentemente de outra atividade humana, em que eu posso conviver sem ela, esta ninguém, do berço ao túmulo, viverá, porque toda a nossa vida está alicerçada na política. Então as pessoas precisam se interessar”, complementa, ao destacar que, para tentar mudar essa rejeição, a Justiça Eleitoral está trabalhando diversas frentes – como as audiências públicas de cidadão – e também através da canção ‘Somos Nação. “Tentando através da beleza da música, tocar a sensibilidade de todos para a importância que é a política, o exercício da cidadania, para que nós encontremos soluções aos nossos problemas”. 



Notícias da editoria