Somente 76 casos de chikungunya foram notificados

Fabíola Tormes / Redação DS 25/09/2018 Saúde

Várzea Grande é o município com maior número de casos da doença

Doenças ocasionada pelo mosquito tendem a se elevar

A Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso divulgou na última semana um novo boletim epidemiológico, deixando os municípios em alerta, especialmente para casos de febre chikungunya.


Segundo o boletim, os casos notificados de febre chikungunya tiveram um aumento de 255% neste ano em Mato Grosso, além de que três mortes relacionados a doença foram registradas. 


Em 2017 foram registrados 3.941 casos da doença, enquanto que, neste ano, o número mais que quadruplicou, sendo notificados 14.001 casos. Várzea Grande foi o município que mais registrou casos da doença, com 10.031 notificações este ano. No ano passado, apesar de menores, os números ainda foram expressivos: 2.603 ocorrências. 


Já em Tangará da Serra, segundo o secretário de Saúde, Itamar Bonfim, foram somente 76 notificações neste ano, sendo destes 56 confirmados e 20 descartados, e nenhum óbito registrado. “Para uma cidade de 100 mil habitantes, é até baixo esse número de casos”, comemora o gestor, ao creditar este resultado ao trabalho intenso realizado pela Vigilância em Saúde Ambiental e população. 


“Resultado do trabalho efetivo que vem sendo realizado pela nossa equipe, que alcança mais de 80% de cobertura em todas as localidades através de revisão e tratamento”, reafirma, ao informar ainda que neste ano os agentes completarão cinco ciclos de visitas e tratamento, acima de 80%. “Ou seja, 80% dos imóveis de Tangará da Serra estão sendo visitados a cada 60 dias”. 


Porém, mesmo estando com índices satisfatórios, o secretário alerta para o início do período chuvoso, época em que as doenças ocasionadas pelo mosquito aedes aegypti tendem a se elevar. “Pedimos que a população continue consciente”.
 

Notícias da editoria