Hora de levantar

Lévender Mattos 27/09/2018 Artigos

"O cérebro pensa em tudo ao mesmo tempo e de forma desordenada"

Lévender Mattos

Não tenho dificuldades para dormir, na verdade durmo muito bem, o problema é a mania de acordar em plena madrugada com o pensamento acelerado, cheio de respostas das dúvidas do dia anterior e com interrogações do próximo, piora porque se eu não anotar provavelmente eu irei me esquecer, logo tenho que levantar, e lá se foi o sono e o descanso.
É natural, mas não normal, demorei para perceber que falo ao telefone andando ou dando voltas, que sentado os pés e mãos ficam inquietos, os inúmeros movimentos involuntários quando preciso ficar parado, em aulas, reuniões, eventos, que não consigo finalizar a leitura de um livro ou acompanhar uma série, é uma pré indisposição em ficar parado ou um excesso de disposição para movimento, não sei.
Mas, fazendo um retrocesso a tal falta de atenção me acompanha desde sempre, não é por mal, sério! A troca constante entre bom dia, tarde ou noite, a resposta com um leve retardo de tempo, a mania de desorganização ou de se organizar, a inquietação, a dificuldade em expor sentimentos, os constantes atrasos, e o pior de todos, a procrastinação.
Decorrente deste somatório, alguns sinais acabam por transparecer como dermatites e queda de cabelo, e sinceramente, ficar careca não é legal e as coceiras incomodam.
É retrabalho. Quando você lê uma página de um livro e na metade da folha nem se lembra do que acabou de ler e daí volta a ler. Ou quando está lendo, mas está pensando em outra coisa e esquece. Ou então a pessoa te pede uma coisa e do nada tu esquece. O cérebro pensa em tudo ao mesmo tempo e de forma desordenada, um mix de vida profissional e pessoal com o que eu estou com vontade de comer, que filme ver ou para onde viajar.
No que tudo isso atrapalha?! Profissionalmente a gente fica inseguro para muita coisa, como fazer a gestão do tempo? Na faculdade eu não conseguia ficar sentado prestando atenção na aula, a cada meia hora eu dava uma volta no corredor, na infância quando a aula não me agradava eu simplesmente dormia, no ensino médio os números passaram a não me agradar tanto, mas as notas sempre foram boas, independente da fase estudantil.
O senso de humor é sempre bom, até mesmo quando as coisas não estão bem. A gente acaba por se cobrar muito, a vida te cobra muito, o cérebro não para, na verdade tudo passa a ser hiper e a gente confunde com super, e ninguém é super, ninguém vai estar bem todos os dias, só espero que na maioria dos dias sim. Hora de levantar. Sorria. Bom dia.

 

Lévender Mattos
Escreve por passatempo e terapia. 
Idealizar da página @paiterapia. 
Marido da Patrícia. 
Pai do Gabriel, do Enzo e do Théo.

Notícias da editoria