Mais uma vez o trabalho de pesquisa do Diário da Serra obteve êxito

Mano Reski / Redação DS 08/10/2018 Política

Na maioria das candidaturas cravamos inclusive os números

Entendemos que contribuímos com as candidaturas

Na quinta-feira, 4, o Diário da Serra encerrou seu trabalho de pesquisa relacionado ao primeiro turno das eleições gerais deste ano, com as últimas informações dos eleitores tangaraenses sobre o voto para Presidente, Governador, Senador, Deputado Federal e Estadual e mais uma vez, à exemplo das eleições de 2016 obteve êxito em seus resultados.


É claro que nossa intenção não foi determinar quais seriam os eleitos nas eleições majoritárias e proporcionais onde sempre existe a dependência de uma série de fatores, como voto em outras cidades, já que nossa pesquisa foi realizada apenas em Tangará da Serra. 


Na maioria das candidaturas pesquisadas em nossa cidade, cravamos inclusive os números e nas demais mostramos o movimento do eleitor e até em quais tenderiam a migrar, especialmente os que se declaravam indecisos e foi o que ocorreu.


Já na quinta falávamos que Jair Bolsonaro encantou o eleitor tangaraense desde a primeira pesquisa, o mesmo com o candidato a Governador Mauro Mendes que despontou também desde a primeira amostra. Acompanhamos a virada da Juíza Selma Arruda sobre Jayme Campos para o Senado, tendência que se confirmou inclusive no estado de Mato Grosso. 


Na candidatura a Deputado Federal, quando muitos apostavam que Rogério Silva se destacaria em Tangará da Serra em razão do período que assumiu a Câmara Federal, o DS mostrou em suas pesquisas um fenômeno chamado Vander Masson que de forma humilde caiu nas graças do povo.


Rogério Silva recebeu 56,8% dos seus votos fora de Tangará da Serra mostrando que pode ter faltado um pouco mais de apoio ao jovem candidato, especialmente pelo fato de que em poucos meses em que assumiu como suplente conseguiu mais de 15 milhões para Tangará e para região. 


Esse apoio não é o de publicações de notas em redes sociais, mas o apoio de aliados com engajamento na campanha, para contribuir como uma coordenação de campanha que mostrou falta de experiência. 


Saturnino Masson, embora tentasse a reeleição contou com a simpatia do eleitor tangaraense, mas os votos não foram suficientes para reconduzi-lo e ele também sucumbiu ao final para a surpresa chamada Dr. João que brigou com Wagner Ramos desde a primeira amostra do DS, o superou e mostrou uma crescente fabulosa com a definição final dos indecisos em seu favor, conforme mostrava a nossa pesquisa.


Wagner Ramos foi o grande derrotado, como já era esperado e mostrava nossa pesquisa, ocupando a quarta colocação em Tangará, ficando atrás dos inexpressivos 2.497 votos do Dr. Lidioney, com 2.454 votos. A tendência se seguiu no Estado onde conseguiu apenas 8.049 votos, embora tenha lançado mão de inúmeras publicações onde mostrava que reunia chances reais de eleição o que não se confirmou.


Concluímos nosso trabalho com êxito, pois entendemos que contribuímos com as candidaturas que até então estavam no escuro sem um norte para suas ações. 
 

Notícias da editoria