Família pede ajuda para cirurgia de retirada de câncer raro

Vinicius Mendes / Olhar Direto 16/10/2018 Saúde

O procedimento custa entre R$ 40 mil e R$ 50 mil

Gerente comercial Márcio Bittencourt

O gerente comercial Márcio Bittencourt, de 39 anos, morador de Tangará da Serra, foi diagnosticado há três meses com um câncer raro. Um tumor maligno cresceu em seu apêndice e já foi retirado. No entanto, para dar continuidade ao tratamento, Márcio deve ser submetido a uma outra cirurgia, que não é coberta pelo plano de saúde, nem pelo SUS. O procedimento custa entre R$ 40 mil e R$50 mil e os familiares dele buscam maneiras de arrecadar o dinheiro.


Um dos familiares de Márcio, Geovana França, prima da esposa dele, disse que o gerente comercial sempre teve uma vida saudável. Ele é casado, pai de dois filhos, e sempre teve o costume de praticar esportes. “Ele é um atleta, corre 10 quilômetros por dia, joga futebol, sempre foi saudável. Descobrimos o câncer há três meses. Ele começou a ficar muito magro, sentia dores no apêndice e começaram a aparecer manchas no corpo dele”, disse Geovana.


A princípio, a família imaginou que a perda de peso poderia ser decorrente das longas corridas diárias. Também acreditaram que as dores no apêndice poderiam ser possíveis lesões decorrentes do futebol. Apenas quando as manchas surgiram é que decidiram procurar ajuda médica.


A dermatologista consultada recomendou que buscassem um clínico geral, porque a condição de Márcio não era apenas um problema de pele. O gerente comercial então foi diagnosticado com câncer. Foi encontrado um tumor no apêndice de Márcio, do tamanho de uma laranja.


Ele e sua família então foram para Cuiabá, para receber tratamento no Hospital de Câncer, e lá descobriram que o tipo de câncer que Márcio contraiu é raro. O médico, assim que deu uma olhada no caso de Márcio, de imediato o encaminhou à cirurgia, onde fizeram a retirada do tumor, que já estava no tamanho de uma manga rosa.


Márcio continua com o tratamento e precisará passar por quimioterapia e radioterapia. Ele também deve ser submetido a uma outra cirurgia. Como a doença é rara, não há cobertura por parte do plano de saúde particular nem por parte do SUS. 


Foi criada uma página no site de financiamento coletivo “Vakinha”, mas a família também tem divulgado o número da conta bancária de Márcio. Aqueles que quiserem contribuir, a doação pode ser feita diretamente: BANCO DO BRASIL AGÊNCIA = 1321-8   CONTA CORRENTE = 8338-0  MARCIO G. BITENCURT
 

Notícias da editoria