Justiça Eleitoral realiza auditoria das urnas em Tangará

Rodrigo Soares / Redação DS 17/10/2018 Política

Cartório Eleitoral de Tangará realizou cerimônia ontem

Cerimônia aconteceu no Cartório Eleitoral

Definido o segundo turno das eleições 2018 para o cargo de Presidente da República em todo o Brasil, a Justiça Eleitoral está finalizando todos os procedimentos para que os eleitores possam ir às urnas no dia 28 de outubro escolher o Chefe do Executivo Federal para os próximos quatro anos. Em Tangará da Serra, o 19ª Cartório da Zona Eleitoral realizou na tarde desta quarta-feira, 17, a audiência pública de auditoria das urnas eletrônicas, com a finalidade de demonstrar a segurança e funcionalidade dos aparelhos.


De acordo com a juíza eleitoral de Tangará da Serra, Leilamar Aparecida Rodrigues, a expectativa é que o segundo turno das eleições aconteça da forma tranquila no Município. “Fizemos a carga e lacre das urnas. Colocamos todos os dados, lacramos e fizemos a auditoria para o eleitor ver a segurança. Vocês (imprensa) tiveram a oportunidade de fazer o voto para verificar a segurança. Temos certeza que esse segundo turno será mais tranquilo, pois é só para presidente, então o eleitor terá mais facilidade”, relatou a magistrada, destacando que é importante que o eleitor faça seu voto com tranquilidade para assim evitar qualquer tipo de problema.


“Se tiver qualquer dúvida, fale com o mesário. Se não aparecer a foto, provavelmente o voto será nulo, pois o eleitor digitou o número errado. Antes de confirmar, pergunte ao mesário caso não veja a foto do candidato, que o presidente da seção prestará a devida orientação. Vote com paciência, espere, digite o número do candidato e aguarde aparecer a foto”, reforçou a juíza eleitoral.


Para evitar qualquer contratempo, ainda de acordo com a magistrada, a Justiça Eleitoral fixará cartazes nos colégios eleitorais, lembrando da importância do eleitor esperar aparecer a foto do candidato antes de apertar a confirmação do voto.


“Gostaria de lembrar para o eleitor ter cuidado, pois não pode ser usado celular na cabina de votação. Se o eleitor for pego com celular, pode ser caracterizado crime eleitoral”, finalizou a responsável.
 

Notícias da editoria