Sr. Mata-mata: Renato Gaúcho busca sexta final e quinto título com Grêmio desde 2016

Guilherme Marçal / Globo Esporte 30/10/2018 Esportes

Caso desbanque o River Plate na semifinal da Libertadores, treinador terá chance de levantar o caneco em metade dos torneios com fases eliminatórias disputados em menos de três anos

Grêmio tem bom desempenho em mata-matas com Renato Gaúcho no comando desde 2016

Seria tremenda injustiça afirmar que Renato Gaúcho vive uma boa fase. A realidade é que o treinador está com tudo há pelo menos dois anos e - ainda bem para a torcida do Grêmio - não está prosa. Eis o recente cartel: quatro títulos e um vice-campeonato em nove competições com fases eliminatórias desde 2016. Na décima disputa, a Libertadores em andamento, a possibilidade de final é grande. Portaluppi atualiza seu currículo a cada semestre, graças a 67,4% de aproveitamento em 45 jogos de mata-mata. Caso passe pelo River Plate nesta terça, às 21h45, na Arena do Grêmio, Renato poderá erguer o terceiro troféu apenas em 2018 - Gaúcho e Recopa já estão na galeria.


O Espião Estatístico destrinchou a numeralha do Grêmio com Renato desde sua chegada e mostra o crescimento de time e técnico juntos (gráfico abaixo).


Renato Gaúcho chegou em 21 de setembro de 2016 e, com dois meses e meio de casa, arrebatou uma Copa do Brasil. Não há como negar que o início vitorioso deu respaldo e tranquilidade para a subida de nível de todos no Grêmio.


Na temporada seguinte, cinco mata-matas disputados e uma prioridade: a conquista da Libertadores pela terceira vez. O principal troféu do continente veio, e o patamar de Renato mudou.


Em 2018, um primeiro semestre vencedor: Recopa Sul-Americana e Gauchão - este, em recuperação avassaladora desde a primeira fase. Na Copa do Brasil, queda para o Flamengo nas quartas de final. A quarta Libertadores da história pode coroar o ano com três conquistas (ou quatro, contando possível revanche contra o Real Madrid no Mundial).


Talvez o que mais chame atenção no Grêmio desde 2016 seja a regularidade em casa e fora nos torneiros eliminatórios. Em 21 partidas como mandante, o aproveitamento foi de 71,4% em 21 jogos, com 13 vitórias e apenas duas derrotas. Longe de casa, foram 22 jogos, com 65,1% dos pontos conquistados - 13 vitórias e cinco reveses. Vale lembrar que desconsideramos mandos de campo de Grêmio 1 x 0 Pachuca e Real Madrid 1 x 0 Grêmio, pelo Mundial 2017, por não serem disputados na casa de nenhum dos times.



Notícias da editoria