Polícia Civil capacita servidores para atendimento de mulheres e meninas vítimas de violência

Gazeta Digital 09/12/2018 Polícia
Polícia

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá, em parceria com a Coordenadoria de Polícia Comunitária, realizou na última sexta-feira, 7, o "I Painel de Debates sobre Violência Contra a Mulher".


O evento foi direcionado a capacitação de servidores da PJC, preferencialmente, aos policiais que atuam nas unidades especializadas de defesa da mulher da região metropolitana e interior, Delegacia Especializada de Defesa da Criança e Adolescente (DEDDICA), Plantões de Cuiabá e Várzea Grande, assistentes sociais e psicólogos da PJC, além do Conselho Estadual dos Direitos da (CEDM) e os Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e Adolescente (CMDCA), dos Direitos da Mulher (CMDM), dos Direitos da Pessoa Idosa (COMDIPI), e ainda Conselhos de Segurança (Consegs) e Clube de Mães.


Violência sexual
A abertura das palestras teve como tema o abuso sexual infanto-juvenil e foi ministrada pelo delegado coordenador de Polícia Comunitária da Polícia Judiciária Civil, Gênison Brito Alves Lima. “Os subssistemas de defesa de garantia do direito das crianças e adolescentes ainda precisam avançar para tratar, de fato, como prioridade, conforme preconiza o ECA, o atendimento a esse público, que é o mais vulnerável em nossa sociedade".


“Precisamos com urgência absorver esse enfrentamento da violência sexual, a partir da criança e do adolescente. Notamos que na prática, a menina já é vitimada a partir do olhar do adulto sobre ela, um olhar malicioso. Depois que vira adolescente fica ainda mais explícita essa visão da garota como um objeto de desejo”, destacou.


Feminicídio
A promotora de justiça Sasenazy Soares da Rocha Daufhenbach, do Núcleo das Promotorias de Violência Doméstica de Cuiabá, abordou o tema “feminicídio”. “O ciclo de violência, que as vítimas enfrentam antes de culminar na morte da mulher em razão do gênero, apontam para a necessidade de um atendimento de qualidade desde as primeiras denúncias, com sensibilidade”.


A palestrante também tratou sobre a importância do local de crime e apresentou reflexões de casos ocorridos na região metropolitana.


Acolhida
A terceira exposição teve como reflexão o acolhimento às vítimas de violência e foi ministrada pela psicóloga Isabel Silveira, diretora-geral da Univeritas e ex-superintendente de Políticas Públicas para Mulheres de Mato Grosso.


“É possível comparar a violência doméstica sofrida pelas mulheres com aquela resultante dos conflitos nos tempos de guerra. Ambas geram transtorno de estresse pós-traumático. Esse quadro gera forte impacto emocional, sensação de opressão. Na maioria dos casos a mulher não se recorda com clareza dos fatos, o que acaba gerando versões conflitante. Por isso o acolhimento inicial é fundamental para a superação desse trauma", explicou a palestrante.


Mobilização
O evento marcou a agenda de mobilização social dos 16 Dias de Ativismo, promovida pela Delegacia Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá (DEDM), em parceria com a Coordenadoria de Polícia Comunitária da Polícia Judiciária Civi.


A delegada titular da DEDM, Jozirlethe Magalhães Criveletto, destacou que além das atividades voltadas ao atendimento das mulheres, nos bairros da Capital, o foco deste ano foi a capacitação aos profissionais. “Pensamos em lançar esse olhar para os profissionais, de modo alcançar o 'bem-acolher' no cuidado das crianças e mulheres adultas e idosas”, afirmou.


Avanços
O Diretor de Execuções Estratégias da Polícia Civil, Mário Dermeval Aravechia de Resende, destacou no evento os avanços da Instituição, mesmo diante de um cenário de crise econômica nacional, objetivando a melhoria das estruturas físicas das unidades que atendem mulheres vítimas de violência.


De acordo com o diretor todos os esforços estão sendo empreendidos buscando breve inauguração de novas delegacias especializadas. As cidades de Várzea Grande e Sinop tiveram inauguradas recentemente suas unidades. E em fevereiro de 2019 está prevista a inauguração de uma delegacia especializada em Cáceres, com mais de mil metros quadrados.


“Além disso, a medida protetiva eletrônica, que está sendo implantada nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis, é uma ferramenta importante para agilidade nos trabalhos de proteção às vítimas. Esse trabalho será efetivado em breve nos municípios de Tangará da Serra, Sinop e Cáceres”, explicou o diretor Mário Dermeval Aravechia de Resende.


O I Painel de Debates sobre Violência Contra a Mulher contou com a presença de representantes de outras instituições como a Defensoria Pública e a Polícia Militar. A abertura do evento foi realizada pelo Coral Vozes da Polícia Judiciária Civil.

Notícias da editoria