Proprietário de caminhonete que matou jovem afirma em depoimento, que condutora não estava em alta velocidade

Lucélia Andrade - Redação DS 17/01/2019 Polícia
Polícia

O proprietário da caminhonete que matou o jovem Rodrigo Bem Fica Pipi, 18 anos, se apresentou por volta das 16h desta quarta-feira à Delegacia de Polícia de Tangará da Serra.

 

O agricultor G.B, 40 anos estava na companhia de J. L. S, 25 anos, que conduzia a caminhonete que causou a morte do jovem. 
 

 

A reportagem do DS, teve acesso a seu depoimento e nele o proprietário confirmou que era J.L.S  que conduzia a caminhonete.

 

No entanto, ele negou que ela estaria em alta velocidade e não passou dos 50 km/ hora e que em nenhum momento realizou manobras perigosas ou dirigiu de forma inadequada. 
 

 

No depoimento,  ele conta que encontrou J. um uma boate localizada na Avenida Brasil, por volta das 3h. Eles conversaram, dançaram, porém estavam em grupos de pessoas diferentes e não teria percebido que ela fez uso de bebida alcóolica. 

 

Pouco tempo depois, ela  o convidou para ir a casa de um amigo, porque lá ocorria uma festa. O casal saiu da boate e seguiu em direção a uma distribuidora de bebidas, compraram três caixas de cerveja e foram embora. 
 

 

G.B afirma ainda que saiu da distribuidora dirigindo a caminhonete e que no caminho, parou o veículo para trocar beijos com J.L. Foi aí que ao questionar a ela onde iriam, ela respondeu que a deixasse dirigir, pois sabia onde era a casa.

 

O condutor então desceu da caminhonete e passou para o lado do carona. Já J.L, conforme depoimento,  fez essa troca no interior do veículo.
 

 

Ele declarou ainda à Polícia que antes de passarem pelo local da colisão, fizeram outros percursos inclusive dirigiram  pela Avenida Brasil. 

 

Logo após o acidente, foi acionado  o socorro e de acordo com ele em nenhum momento pensaram em deixar o local. 
 

G.B, foi ouvido e liberado. 

 

Notícias da editoria