Número de doenças causadas pelo Aedes cai em Tangará

Rodrigo Soares / Redação DS 10/02/2019 Saúde

Casos de dengue, zika e chikungunya caíram no Município

Mosquito transmissor da dengue, zika e  chikungunya

A Secretaria Municipal de Saúde de Tangará da Serra divulgou no último final de semana o Boletim Epidemiológico onde consta uma redução no número de casos confirmados de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.


Em comparativo com janeiro de 2018 e 2019, o boletim revelou que no ano passado houveram 15 pacientes notificados e seis confirmados, o que representa 40% de diagnóstico positivo. Já no primeiro mês desse ano, nove notificações foram registradas e apenas seis confirmaram a dengue, o que equivale a 33% de resultado positivo. “Comparando o primeiro mês desse ano e do ano passado, percebemos a redução de 7% nos casos confirmados”, informou o secretário de Saúde, Itamar Bonfim, destacando que em uma análise referente a taxa de incidência- onde os casos são medidos por 100 mil habitantes, também houve uma considerável redução.


“Em janeiro de 2018 tivemos uma taxa de incidência de 5,8% por 100 mil habitantes. Em janeiro de 2019, tivemos redução nessa mesma taxa para 2,9% por 100 mil habitantes, representando uma redução de 50% em um comparativo com os dois anos”, explicou Bonfim.


A mesma redução pode ser comprovada nos casos de chikungunya, sendo que em janeiro do ano passado um caso foi registrado e nesse ano nenhum. Já as notificações de zika, em um comparativo com o mesmo período ficaram estagnadas, não havendo notificações.


“Mesmo com os números positivos, pedimos para as pessoas continuarem cautelosas, pois no período de chuva a possibilidade de transmissão aumenta. Esperamos que cada um faça o dever de casa, não deixando água parada que é onde o mosquito se prolifera”, finalizou o secretário.

 

Notícias da editoria