Personal suspeito de dar 'mata-leão' em namorada e atirar em policiais é autuado por 4 crimes e continua preso

G1 MT 11/02/2019 Polícia
Polícia

O personal trainer Eder Rony Silva Lima, de 24 anos, suspeito de ter agredido a namorada e de ter atirado contra policiais em Juara, a 690 km de Cuiabá, no sábado (9), foi atuado por quatro crimes e continua preso, segundo o delegado Carlos Henrique Engelmann.

 

Na cadeia, ele divide a cela com outros homens presos pelo mesmo crime. O G1 não localizou o advogado dele.

 

Ao ser detido, o jovem - que trabalha como personal em uma academia -, confessou aos policiais que teria "perdido a cabeça" durante uma discussão com a vítima e aplicado um golpe de "mata-leão" na vítima.

 

Eder foi atuado pelos crimes de lesão corporal, posse irregular de arma de fogo, disparo de arma de fogo e tentativa de homicídio qualificado contra agente público. Segundo o delegado, entretanto, ao prestar depoimento ele negou que tenha agredido a namorada.

 

À polícia, a vítima disse que os dois haviam ingerido bebida alcoólica e discutiram por causa de um celular.

 

Na ocasião, Eder também teria mordido os ombros da namorada.

 

Durante o desentendimento, o suspeito teria se dirigiu a um dos quarto da casa e pegou uma arma registrada no nome da vítima.

 

Ao notar a intenção, ela saiu de casa e pediu ajuda na rua.

 

Os vizinhos chamaram a polícia que, segundo o delegado, foi recebida com tiros. Durante cerca de uma hora os policiais tentaram convencê-lo a entregar a arma.

 

No intervalo de tempo, foram efetuados oito tiros contra os policiais.

 

Em depoimento, o suspeito negou as agressões e alegou que a namorada havia mordido os próprios ombros.

 

Sobre os disparos, Eder afirmou que conhecia os policiais e disparou porque são amigos.

Notícias da editoria