Cinco casos de microcefalia confirmados em Recém Nascidos

Lucélia Andrade / Redação DS 17/02/2019 Saúde

Desse número, dois foram a óbito após o nascimento

Três casos da doença, foram descartados

O 1º Boletim Epidemiológico divulgado recentemente pela Secretaria Municipal de Saúde, aponta que houve redução no número de casos confirmados de doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti em Tangará da Serra.


Um comparativo entre janeiro de 2018 com o mesmo mês de 2019, mostra redução nos casos.  No mês de janeiro de 2018, 15 casos foram notificados de dengue, sendo seis confirmados, o que representa 40% de diagnóstico positivo. No entanto, em janeiro deste ano, nove notificações foram registradas e apenas seis confirmaram para dengue, representando então 33% de resultado positivo.  Apesar da redução dos casos, a preocupação não é descartada, já que com o período de chuvas a incidência de casos da doença podem ter um aumento.


Em relação ao  Zika Vírus, a doença começou a aparecer no município em 2015. No mesmo ano, foram notificados 148 casos suspeitos, sendo 146 confirmados e apenas um descartado.  Em 2016, foram 1235 notificações. Em 2017 o número caiu para 36 notificações. Já em 2018 houve uma pequena elevação nas notificações, com 46 casos suspeitos. E em 2019, conforme dados parciais da tabela do boletim epidemiológico, nenhuma suspeita do Zika foi notificada.


Porém, o que chama a atenção nos dados divulgados pela Secretaria de Saúde, são os casos de microcefalia em Recém Nascidos (RN’s) provocados pelo zika vírus, contraídos pelas mães durante a gestação. Foram notificados até o momento,  oito casos de recém nascidos apresentando Síndrome Congênita por Zika Vírus, sendo três descartados, cinco prováveis casos da microcefalia e dois óbitos após o nascimento.

 

Notícias da editoria