Hospital Regional de Barra do Bugres pode fechar as portas

Rodrigo Soares / Redação DS 28/02/2019 Saúde

Sem receber do Estado, Hospital pode encerrar atividades

Unidade regional está sem materiais dos fornecedores

Responsável por atender pacientes de onze Municípios de toda região médio-norte, os atendimentos realizados pelo Hospital Regional de Barra do Bugres podem estar com os dias contados. Isso porque, além da falta de repasses para pagamento de funcionários, a unidade hospitalar também sofre com a falta de verba para pagamento de fornecedores.


De acordo com o presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde, Rafael Machado, suprimentos hospitalares básicos para a continuidade dos atendimentos estão em falta no Hospital Regional.


“Os fornecedores começaram a negar a entrega de materiais, pois estão há muito tempo sem receber. Se continuar assim, a gente só deve permanecer aberto por mais trinta dias”, relatou Machado, destacando que a possibilidade do hospital fechar as portar não se trata de um protesto pela inadimplência do Estado, mas sim pela falta de condições básicas para a continuidade dos atendimentos.


“Sem materiais, os profissionais não conseguem trabalhar”. A falta de repasse, que já foi noticiada no início desse ano pelo Jornal Diário da Serra, acabou ficando ainda mais antiga. Médicos estão sem receber desde outubro e os demais funcionários desde dezembro. “Quando o governador Mauro assumiu, estávamos com quatro meses de atraso referente ao antigo governo. Compreendemos que na troca de governo existe uma burocracia, então ficamos janeiro sem receber. Recebemos em fevereiro, ou seja, os médicos receberam nesse mês o pagamento de outubro e os funcionários o de dezembro”, explicou Rafael, deixando claro que o possível fechamento do hospital não se trata de radicalismo ou questões políticas. “Não existe ameaça de greve nem nada do tipo, a questão é que os fornecedores não conseguem mais entregar, (…) então estamos correndo o risco de fechar as portas”, explicou.


Falta desde alimentação a medicamentos no hospital

“Está faltando tudo. A gente está devendo para os fornecedores e nenhum quer entregar enquanto não receber. Faltam desde alimentação, medicamento e materiais de limpeza”. Esse é o relato do secretário executivo do Consórcio Intermunicipal de Saúde, Edson André Moura, que demonstra preocupação com a falta de repasses do Governo do Estado.


“(...) O essencial para manutenção e continuação dos atendimentos, estamos em falta. O valor da dívida com os fornecedores é em torno de R$350.000. Tememos que o hospital feche as portas antes mesmo dos 30 dias”, informou o secretário executivo, ao relatar que a possibilidade da unidade hospitalar encerrar as atividades não é somente devido a falta de materiais.


“É um conjunto, não é só o atraso com os fornecedores, mas também com o pagamento dos profissionais. Pode acontecer de conseguirmos os materiais, mas a mão de obra paralisar”, alertou o responsável.

 



Notícias da editoria