Estudantes criam dispositivo elétrico para matar Aedes aegypti

Redação DS 26/02/2018 Educação

Protótipo foi apresentado na final da Maratona Células Empreendedoras MT

Educação

Cinco alunos do ensino médio do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), localizado em Diamantino, venceram a Maratona Células Empreendedoras MT 2017. Eles criaram um dispositivo que permite atrair e matar mosquitos da dengue através da liberação de aminoácidos.
Os vencedores dos três primeiros lugares ganharam uma viagem para Recife, entre os dias 7 e 11 de março, para apresentar o projeto a investidores.
Orientados pelo professor de biologia do IFMT de Diamantino, Giovane Spíndola, os alunos do 2º ano do ensino médio da unidade desenvolveram o Aminotec.
O dispositivo elétrico funciona através de uma base formada por aminoácidos, que atrai e mata os mosquitos, ajudando na prevenção de doenças como a febre amarela e a dengue. “O projeto despertou interesse de investidores fora de Mato Grosso é um dispositivo que chama muita atenção, devido ao impacto proporcionado por ele. O mosquito Aedes aegypti é um problema em todo o país”, disse Giovane.
Os estudantes Anna Clara Capistrano, Bianca Oliveira, Isabelly Holtman e Raphael Barroso, de 16 anos, participaram da equipe.
Anna Clara contou que a Maratona Empreendedora começou em agosto de 2017. Ao todo, foram três fases, sendo que o Aminotec conquistou o primeiro lugar em todas elas. “É um dispositivo elétrico, dentro dele tem uma placa aquecedora, que nos mesmos produzimos. Quando ele libera os aminoácidos no ar, os mosquitos são atraídos e morrem”, explicou.
Para Giovane, é importante a participação dos alunos em projetos de empreendimentos que buscam mudanças na sociedade. Ele contou que foi a primeira vez em que viu alunos adolescentes virando noites em um projeto científico. “Eles [os alunos] agarraram essa oportunidade com todas as forças. São alunos adolescentes moradores do interior do estado, que produziram coisas extremamente relevantes para a sociedade”, disse.
Como a apresentação dos projetos foi feita em Cuiabá, um ônibus dos institutos foi disponibilizado para realizar a viagem. De acordo com a Anna Clara, os pais dos alunos, que moram no interior do estado, ficaram em casa, acompanhando a transmissão do evento pelo celular. “Em todo o processo, desde o ano passado, o principal foi o suporte dos meus pais. Eles me deram todo o apoio e ficaram muito felizes com o resultado”, contou.

G1 MT

Notícias da editoria