Infestação do Aedes em Campo Novo é alarmante

Redação DS 05/04/2018 Saúde
Saúde

Seguindo o mesmo ritmo das estatísticas apresentadas em Tangará da Serra, o índice de Infestação Predial do mosquito Aedes aegypti é alarmante no município de Campo Novo do Parecis. Nesta terça-feira, 03, o Departamento de Vigilância Epidemiológica divulgou os números de notificações de doenças causadas pelo mosquito transmissor referentes a esse ano.
De acordo com os dados, foram 211 notificações registradas nesse ano, sendo 115 pacientes com suspeita de dengue, 30 de zika e 66 de chikungunya. Em Tangará da Serra, foram 151 notificações registradas nos três primeiros meses do ano, número também considerado alto.
Para diminuir essa estatística em Campo Novo, o Departamento de Vigilância Ambiental está realizando tratamento borrifações com inseticida específico em alguns pontos estratégicos, como por exemplo setor de reciclagem, ferro velho e borracharias.
“Estão sendo encontrados focos do mosquito em imóveis com sujeira, mato alto, entulho, latas, garrafas, pneus, piscinas sujas, caixa d’água aberta, entre outros que propiciem criação do mosquito. Pelo que se percebe, só ocorre preocupação por parte dos proprietários de imóveis quando surgem pessoas doentes informando que estão com dengue, zika ou chikungunya”, afirmou o Departamento de Vigilância Epidemiológica, informando que durante as visitas nas residências, os agendas de endemias têm encontrado alto número de depósitos e criadouros do mosquito transmissor. “Ainda existe resistência por parte da comunidade quanto ao cuidado do imóvel na prevenção e eliminação de criadouros propícios para o desenvolvimento no temível mosquito transmissor de doenças que preocupam a saúde camponovense”, reforça o departamento, que pede a colaboração de toda a população para diminuir a infestação do Aedes aegypti.

RODRIGO SOARES / Redação DS

Notícias da editoria