Vereador afirma que abaixo-assinado foi manipulado

Redação 13/03/2018 Política
Política

No centro de uma polêmica, o vereador de Tangará da Serra Claudinho Frare (PSD) prometeu explicar na sessão ordinária desta terça-feira, 13, o vídeo postado por ele nas redes sociais e, ao mesmo tempo, prometeu denunciar um empresário tangaraense na tribuna.
O motivo é a elaboração de uma nota de Desagravo e Repúdio, que ele considerada ter sido manipulada e supostamente encabeçada pela Associação de Agricultores do Assentamento Vale do Sol I, moradores do Jardim Alto da Boa Vista, usuários da estrada 05, frente ao Alto da Boa Vista (Agrisol), contendo cerca de 150 assinaturas, com o objetivo repudiar comentários que teriam sido feitos pelo parlamentar.
“Acabei ligando para algumas pessoas e algumas o nome não é o do telefone, não são pessoas moradoras daqui (…) a letra das assinaturas são todas as mesmas. Acho que essa pessoa [que produziu o abaixo-assinado] tinha uma lista de contato antiga e ela colocou esses nomes e telefones aqui, inclusive nomes de eleitores meus, pessoas que me conhecem e que não tem nem conhecimento dessa assinatura, desse abaixo-assinado”, contou ao DS, revoltado com a situação.
Outras pessoas, afirma o vereador, foram induzidas por vizinhos a assinarem a lista, sem ao menos conhecer o conteúdo. “Não sabia nem do que se tratava (…) Tenho mais de 15 ligações gravadas aqui com relação a isso, que ninguém sabe, telefone não existe, telefone não é da pessoa, não sabe de nada, uma moção [nota de Desagravo e Repúdio] falsa”.
Ao final ele garantiu que irá denunciar o empresário de Tangará da Serra que ele acredita ter 'elaborado' esse documento. “Estou consultando meus advogados, meu jurídico, e vou denunciar na Polícia Federal por uso de coisas [informações] da Polícia Federal e propaganda enganosa, por abaixo-assinado falso, e outras coisas. Ele procurou o que queria e vai ter o resultado dele”.
A 6ª Sessão Ordinária acontecerá no Plenário “Vereador Daniel Lopes da Silva” nesta terça-feira, dia 13, a partir das 14h, anexo ao prédio da Câmara.

Redação DS



Notícias da editoria