Irmãos Taques e Kobori teriam forjado documentos

Redação DS 10/05/2018 Polícia
Polícia

O advogado Pedro Zamar Taques e o empresário Valter José Kobori teriam falsificado documentos para esconder a participação do ex-secretário da Casa Civil Paulo Taques no esquema de pagamento de propina no Detran, investigado na Operação Bônus. Esta foi a justificativa dada pelo Ministério Público Estadual (MPE) para pedir a prisão preventiva dos três citados. No pedido de prisão, o MPE relata que “fatos demonstram que os três trabalhavam no sentido de dificultar a produção de provas a respeito dos crimes por eles praticados”. Por isso, os promotores consideram as detenções dos envolvidos fundamentais para prosseguir com a investigação criminal e futura instrução processual penal.
Um dos crimes cometido pelo trio seria forjar documentos para pagamento de serviços advocatícios que não teriam sido prestados e a criação de verba trabalhista em processos fictícios. “Tudo com a finalidade de impedir a descoberta sobre os fatos, ou seja, prejudicarem a investigação criminal e a instrução processual penal”, aponta outro trecho. A atuação ardilosa voltada à obstar a produção de provas e a habitualidade verificada que demonstra Paulo Taques, Pedro Zamar e José Kobori praticam atividade criminal habitual”.
Pedro Zamar é irmão e sócio de Paulo Taques. Os dois são primos do governador de Mato Grosso, Pedro Taques. Até agora o governo não se manisfestou sobre a investigação de pagamento de propina na atual gestão. 

RD News

Notícias da editoria