Sindicato Rural cancela Expoagro deste ano em Cuiabá

Redação 18/04/2018 Rural
Rural

Sabe aquela bota que todo ano se usa para visitar a Expoagro, em Cuiabá? Pois é, este ano ela vai continuar no armário porque a feira não será realizada, depois de 53 edições consecutivas. O Parque de Exposições Senador Jonas Pinheiro vai passar por reforma e o Sindicato Rural da capital quer transformar o espaço numa vitrine tecnológica do agronegócio.
“Não teremos a Expoagro, porque a parte de equinos, parte de bovinos e o centro de eventos vai ser a maior afetada pela reforma dos pavilhões e dos currais. Não teremos shows, nem parque de diversões. O AgroMT será evento técnico, que será realizado de 9 a 12 de julho, das 7 às 18h, fora os leilões que devem ocorrer à noite”, explicou o presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Jorge Pires de Miranda.
A ideia é de que a partir de 2019, o Parque de Exposições possa ter um calendário de eventos durante o ano todo, fazendo da área um centro de eventos do agronegócio de Mato Grosso. Miranda diz que vai debater em conjunto com a Associação Mato-grossense de Algodão (Ampa), Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja), representantes de associação de sementes, piscicultura, dentre outros setores do agro para a realização de eventos no local, sem concorrer com os que já são realizados no interior.
“Serão vários calendários. Queremos trazer para o espaço a Exposição de Pequenos Animais (Expopec), a AgroMT, Expoagro, Semana do Cavalo. Temos uma estrutura grandiosa e queremos que não funcione só uma vez por ano, por isso temos a área de vitrine tecnológica”.
O AgroMT promoverá cursos de capacitação, negócios, parcerias e discussões de diversos segmentos. Um dos desafios é integrar marcas, empresários, produtores nacionais e internacionais.
Haverá ainda espaço destinado a máquinas e equipamentos, veículos, produtos e serviços à pecuária e agricultura de lançamentos de última geração. Serão atrações a exposição de vitrine tecnológica, uma área de Agro Gourmet e Festival de Comida da Roça.
Vários especialistas abordarão palestras de incentivo para alavancar a produção e exportação nos setores agrícolas do estado entre as quatro principais cadeias produtivas no estado: sojicultura, piscicultura, milhocultura e bovinocultura. Além de ficar por dentro das novidades tecnológicas, tendências de mercado e debates sobre políticas no estado.
 
Tirando o título de Sorriso
Por meio do AgroMT, o Sindicato Rural de Cuiabá quer transformar Cuiabá na capital do agronegócio de Mato Grosso, título hoje sustentado pelo município de Sorriso, sustentado por decreto presidencial e estadual. O presidente da entidade, Jorge Pires de Miranda, destaca que Mato Grosso é líder em produção e produtividade no país por uma junção de vários municípios como Sorriso, Lucas do Rio Verde, Sinop, Primavera do Leste, Rondonópolis, por exemplo.
“Nós nos sentimos orgulhosos por ser mato-grossenses, por conhecer a cidade de Sorriso e os seus produtores, são referência e orgulho. Agora acontece que Mato Grosso é líder em produtividade e está em avanço. Há outros municípios que podem superar a produtividade como Campo Novo do Parecis, Sapezal, por exemplo. Ele vai perder o título? Precisamos respeitar Sorriso como maior produtor de grãos de Mato Grosso, mas o Estado é maior produtor do Brasil e qual é capital? Cuiabá! Por isso sustentamos que Cuiabá seja a capital do agronegócio do Brasil e vamos dotar esse espaço para receber os grandes eventos do agro”.

Débora Siqueira / Hipernotícias



Notícias da editoria